Blog

Em Memória das Vítimas do Holocausto
25 de janeiro de 2018
Monumento ao Folclore Vianense
19 de fevereiro de 2018
Mostrar tudo

Caminha investe 800 mil euros na prevenção dos incêndios florestais em 2018

O presidente da Câmara de Caminha anunciou hoje um investimento de 800 mil euros, a realizar este ano, em ações de gestão florestal, vigilância e primeira intervenção de combate aos incêndios florestais.

“Só para este ano, iremos investir 800 mil euros, mas há muito mais investimento previsto por parte dos baldios e de outras das instituições públicas como o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), Infraestruturas de Portugal e de privados, disse hoje à agência Lusa o socialista Miguel Alves.

O autarca disse que “500 mil euros já estão a ser aplicados na maior de limpeza da floresta em curso desde 01 de fevereiro”.

Aquela intervenção, que resulta de uma candidatura a fundos comunitários, vai ser visitada, no sábado, pelo primeiro-ministro, conforme adiantou o autarca.

A deslocação de António Costa vai começar na área empresarial da Gelfa, na freguesia de Âncora, estando ainda previsto um percurso, de cerca de duas horas, pelo Vale do Âncora, onde estão a ser realizados trabalhos de limpeza e gestão de faixas de combustíveis.

Em causa, explicou Miguel Alves, está a obra de execução da Rede Primária e Secundária de Faixas de Gestão de Combustíveis que “vai permitir a criação de zonas de descontinuidade, sem floresta e sem combustível, em diversas áreas do concelho, de modo a travar os incêndios ao longo do território”.

Apontou ainda que, em janeiro, foi constituída uma nova equipa de sapadores florestais, composta por cinco elementos. Metade dos custos da nova equipa, cerca de 80 mil euros, é cofinanciada pelo Fundo Florestal Permanente, sendo que o município suporta “o pagamento de vencimentos, a formação profissional, encargos com a viatura e equipamentos, fardas, combustíveis, reparações e os seguros”.

A nova equipa tem como missão a “silvicultura preventiva, ações de gestão florestal, vigilância, primeira intervenção em incêndios florestais, apoio a rescaldo e vigilância pós-incêndio”.

Miguel Alves sublinhou que aquela equipa de sapadores florestais “é só uma parte da estratégia” do município, que, nos últimos quatro anos, “promoveu a revisão do Plano Diretor Municipal (PDM), a aprovação do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios e, em 2018, com a aprovação o Plano Municipal para o Fogo Controlado poderá candidatar a fundos comunitários ações previstas até 2022”.

“Esse plano está em implementação. Pelo menos três freguesias já tiveram ações de fogo controlado”, destacou.

Recordou ainda que “Caminha é um dos dez concelhos do país abrangidos pelo projeto-piloto do cadastro florestal que tem um serviço móvel para responder às dificuldades de mobilidade dos cidadãos”.

“Temos uma carrinha do município apetrechada para estar junto das aldeias e das populações a fazer sensibilização e georreferenciação. A carrinha é da autarquia, foi candidatada a fundos comunitários em 2017 e está ao serviço desde dezembro do último ano”, adiantou.

Segundo Miguel Alves, “está em fase de conclusão” a instalação da rede móvel “nos locais mais difíceis do concelho de Caminha”, adiantando que “a colocação de antenas de telemóvel na Serra d’Arga está orçada em 65 mil euros”.

http://www.altominho.tv